Saint Martin, Caribe – dicas e roteiro

Em 16/06/2017 por Vanessa

Em abril de 2017 aproveitei o feriado da Semana Santa e planejei uma viagem para comemorar o aniversário do marido no Caribe.

 

Já conhecíamos Aruba, Curaçao, Ilhas Virgens e, depois da viagem da Fabi em maio de 2016 para Saint Martin, Anguilla e Saint Barth coloquei mais essas ilhas na lista de desejos!

 

Para ler o roteiro completo da viagem da Fabi clique em Anguilla, St. Martin e St. Barth- dicas e roteiro completo .

 

Nossa base foi em Saint Martin e fizemos bate e volta para Saint Barth e Anguilla. Saint Martin possui um lado francês e um lado holandês, onde fica o aeroporto (St. Maarten). Não há fronteiras ou imigração entre um lado e outro ou necessidade de visto.

Mullet Beach

 

Quando ir

A alta temporada vai de dezembro a abril, época mais seca e quando os americanos fogem do inverno e aproveitam a temperatura sempre agradável do Caribe.

Os meses menos indicados para conhecer as ilhas são setembro e outubro, quando há risco de furacões e muitos hotéis e restaurantes fecham as portas.

Nós fomos em meados de abril e pegamos muito sol, pouquíssimo vento e apenas um dia nublado. Mesmo nesse dia de tempo mais fechado, quando fomos a Saint Barth, a temperatura estava gostosa e conseguimos entrar no mar sem problemas.

 

Como Chegar

Voamos até St. Martin com a cia aérea Copa Airlines. Saímos do Aeroporto Internacional do Rio (Galeão) e depois de 7 horas de voo chegamos no Panamá. Como nosso voo do Panamá para Saint Martin só sairia na manhã do dia seguinte tivemos que pernoitar na cidade, num hotel perto do aeroporto. Ficamos no Hotel Riande Aeropuerto, o mesmo hotel que Fabi fez uso em sua viagem de 2016. Para fazer sua reserva sem custo adicional clique em Booking.com/ Hotel Riande Aeropuerto

O voo do Panamá para Saint Martin dura cerca de 2h30 de duração.

Veja o relato da Fabi sobre a  Copa Airlines no post Como é voar de Copa Airlines para o Caribe

Nem o Panamá nem as ilhas do Caribe exigem visto para brasileiros, bastando apenas o passaporte válido. Mas, caso você opte por pegar um voo que pare nos EUA ou queira passar uns dias por lá antes ou depois de ir pro Caribe, há a necessidade do visto americano.

 

Certificado Internacional de Vacina

Como tivemos que sair do aeroporto do Panamá e pernoitar na cidade nos foi pedido o Certificado Internacional de Vacina da Febre Amarela na Imigração. Mesmo que não tivéssemos que sair do aeroporto teríamos levado o certificado por segurança.

Em Saint Martin não foi exigido o certificado mas aconselho que levem mesmo assim pois, com o surto de febre amarela que tivemos em algumas cidades do Brasil, cada vez mais países estão pedindo o documento.

Eu tinha aquele certificado internacional bem antigo,amarelo, preenchido a mão pelo agente da ANVISA e a validade iria até final de abril de 2017.  Como a Organização Mundial de Saúde expediu uma resolução em que consta que a vacinação para febre amarela é válida por toda a vida e basta uma única dose, resolvi ir até o posto da ANVISA  no aeroporto do Galeão antes da viagem e pedir que fosse expedido um novo. O agente expediu o novo certificado e com a data de validade “for life” , ou seja, para a vida toda e sem precisar de outra dose da vacina!

 

Como Circular

Alugamos um carro pela cia Sixt no Aeroporto de Saint Marteen  através do site da RentalCars. Há um guichê da Sixt no desembarque mas o escritório das locadoras de carros ficam fora do aeroporto. Assim, uma van da locadora nos pegou no lugar indicado e nos levou até a lojinha .

Vimos  vans (tipo as que temos no Brasil que fazem “lotada”) em algumas praias esperando passageiros mas recomendo fortemente o aluguel de carro para poder explorar a ilha com maior liberdade.

Nosso GPS não tinha o mapa de Saint Martin então utilizamos o aplicativo  do Google Maps no celular no  modo offline. Foi muito tranquilo!

Grand Case ,no lado francês de St. Martin

 

Moeda e Idioma

Nós levamos apenas dólares americanos e cartões de crédito (previamente liberados para uso no exterior). Mesmo no lado francês da ilha, onde ficamos hospedados, onde a moeda adotada é o euro, o dólar é amplamente aceito. Na conta dos restaurantes há o valor em euros e o valor em dólar.

Segurança

Saint Martin é uma ilha tranquila e andamos à noite por lá sem medo mas é recomendável não deixar nada à mostra dentro do veículo quando estacionar para ir a praia ou deixar as malas dentro do carro desacompanhado.

Onde se hospedar

Nós escolhemos ficar no lado francês da ilha, onde está o centro gastronômico de Saint Martin. Nos hospedamos por 6 noites no Bleu Emeraude Residence , localizado em Grand Case e a cerca de 5 minutos de carro ou 15 de caminhada da principal rua de Grand Case com diversos restaurantes. O hotel é pé na areia e fica no lado esquerdo da baía, num lugar calmo de mar transparente.

Hotel Bleu Emeraude visto da praia de Grand Case

Nosso estúdio era amplo, com decoração clean e dispunha de uma cozinha muito bem equipada com fogão de indução (cooktop), micro-ondas,torradeira, máquina de lavar roupas, máquina de lavar louça, cafeteira Nespresso, chaleira elétrica, geladeira com congelador, e ainda  pratos, talheres, copos e taças.

Nossa cozinha super equipada no Bleu Emeraude

No armário de roupas também encontramos ferro e tábua para passar roupas e cofre eletrônico.

A cama king size era deliciosa, com lençóis super macios. Havia duas mesas de cabeceiras em cada lado com luminária e aindaa televisão de tela plana. As persianas da varanda são automáticas, acionadas por um botão na parede e deixam o quarto bem escurinho para uma boa noite de sono. Nosso estúdio ainda tinha uma varanda deliciosa com 2 espreguiçadeiras e bela vista para a praia. O banheiro tem um tamanho satisfatório e uma boa ducha.

Deliciosa cama e varanda com vista pro mar no Hotel Bleu Emeraude

Visual da nossa varanda no Bleu Emeraude

O Wi-Fi é gratuito e cada quarto tem seu login e senha. Pega muito bem e mesmo na praia conseguíamos captar o sinal do Wi-Fi do nosso quarto.

Bleu Emeraude Residence oferece espreguiçadeiras e guarda sóis , toalhas de praia e prancha de SUP. No hotel não há piscina mas confesso que não sentimos falta.

O café da manhã está incluso na diária, algo raro em todo o Caribe, e inclui deliciosas croissants, folheados com chocolate, manteiga francesa, iogurte, geléias, suco de laranja, café, leite e frutas. Como não há um espaço com mesas e cadeiras para o café da manhã, o esquema é o seguinte: há bandejas disponíveis na área do café onde você se serve e leva tudo para o quarto. No quarto há uma mesa com cadeiras mas nós preferíamos tomar o desjejum na varanda de frente para o mar.

Café da manhã na varanda do Hotel Bleu Emeraude

Há um estacionamento aberto na entrada do hotel reservado para os hóspedes (lembrem-se da recomendação de não deixar nada dentro do carro) e também uma garagem subterrânea.

Uma curiosidade: para abrir o quarto não há chaves ou cartão magnético. Na maçaneta encontram-se botões com os respectivos números e é só digitar o código dado pelo proprietário. Achei muito prático!

Outra opção super bacana de hospedagem é o Belmond La Samanna que também fica no lado francês de Saint Martin. Para ver o relato completo da hospedagem da Fabi nesse hotel, que é considerado o melhor da ilha, clique aqui .

 

Praias

Saint Martin é uma ilha maior que as suas vizinhas Anguilla e Saint Barth e tem diversas praias bacanas. Aqui vou listar as que visitamos .

  • Grand Case: é a praia do hotel em que nos hospedamos. Uma baía super calminha e com mar azul turquesa. Apenas do lado esquerdo (olhando para o mar) que é possível de ficar, do lado direito há muitas rochas e não tem como mergulhar.

 

  • Mullet Bay: sem dúvida a praia mais bonita da ilha!! Mar calmo de cor estonteante, ideal para famílias. Fica próxima a Maho Beach, a praia dos aviões.

 

  • Maho Beach: essa praia é famosa pela chegada dos aviões. A cabeceira do aeroporto de Saint Martin fica bem perto da areia. O melhor horário para ver a chegada de aviões de grande porte é à tarde, entre 12h00 e 15h00. Há estrutura de espreguiçadeiras e guarda-sóis. Nós não ficamos nela, apesar de ser bonita é muito pequena e estava bem cheia quando fomos. Vimos apenas a chegada de alguns aviões e fomos embora. A experiência é bem bacana, dá uma mega adrenalina ver as aeronaves chegando tão perto! Achei que a turbina ia levantar areia pra todos os lados mas isso não aconteceu, foi tranquilo! Mas atenção: é perigoso e proibido ficar na praia e principalmente junto a grade da pista durante taxiamento e decolagem dos aviões!!Nesse momento sim, areia voa para todos os lados e a força do ar das turbinas é muito grande e pode lançar para longe facilmente uma pessoa que esteja ali. Li notícias que recentemente morreu uma turista que desobedeceu as regras de segurança.

 

  • Simpson Bay: praia extensa, de areia branquinha e o inconfundível mar azul turquesa caribenho. Fica junto ao aeroporto.

 

  • Great Bay: é no porto do lado esquerdo dessa praia que os navios de cruzeiro aportam. Há estrutura de espreguiçadeiras e guarda-sóis. Chegamos nela mais pro meio da tarde, a praia estava vazia ,o mar com uma temperatura ótima! Foi uma delícia!

 

  • Ansel Marcel: essa praia pertence aos hotéis que ficam nessa enseada mas o acesso é permitido a não hóspedes. A praia é até bonita, tem uma cor verde esmeralda, mas é cheia de espreguiçadeiras por causa dos hotéis e no meio não é permitido o banho por causa do trânsito de jet skis. Só paramos para fotos.

 

  • Pinel Island: essa ilhota só é acessível de barco (uns 10 minutos de trajeto, a 10 euros ou 12 dólares ida e volta) e é uma gracinha! O portinho fica na região de Cul-de-Sac, na Rua Cul-de-Sac que dá direto no mar. Há estacionamento público e gratuito. Cheguem cedo pois à tarde a pequena ilha fica bem cheia! Há 2 restaurantes com estrutura de espreguiçadeiras e guarda-sóis.

 

  • Orient Beach: depois de ir até Pinel Island seguimos até a praia Orient. Adoramos essa praia! Extensa faixa de areia e um mar lindo! Há vários beach clubs com estrutura de restaurante, aluguel de espreguiçadeiras e guarda sóis. Nós ficamos no Bikini Beach Club, tomamos uns drinks e petiscamos.

 

  • Baie Longue: essa é a praia do hotel Belmond La Samanna , onde a Fabi ficou por uma noite em maio de 2016. Para ler a matéria completa que ela escreveu e ver as belas fotos do lugar clique aqui .

 

 

Passeios

Nós fizemos 2 bate e volta enquanto estávamos em Saint Martin: um para a ilha de Anguilla e outro para St. Barth. O ideal é fazer como a Fabi em 2016 e em 2017 e se hospedar nessas ilhas para aproveitar melhor as praias e restaurantes. Para rodar por lá nós fizemos reserva de aluguel de carro previamente pela internet, ainda no Brasil.

 

Para ler a matéria completa de Anguilla com dicas de como chegar, hotéis, praias e restaurantes clique em Anguilla e as praias mais bonitas do Caribe .

 

Para ler a matéria completa de St. Barth com dicas de hotel, como chegar e das melhores praias clique em St. Barth, um pedacinho da França no Caribe .

 

Mas se você tem disponibilidade para fazer apenas um bate e volta  aí vão 2 alertas: leve seu passaporte!! Há trâmite de imigração tanto na saída de St. Martin quanto no retorno e sem passaporte não é possível embarcar! Isso vale para Anguilla e St. Barth.

Para ir a St. Barth nós pegamos o ferry em Great Bay, ao sul da ilha. No lado esquerdo da baía ( olhando para o mar) localiza-se o porto de onde saem os ferries para lá. Nós estacionamos dentro da Bobby´s Marina ( o valor do estacionamento deu 10 dólares pelo dia inteiro), e é aqui que fica o escritório da empresa Great Bay Express que faz o trajeto Saint Martin- St. Barth. Seguimos a dica da Fabi e optamos por sair de Great Bay e não de Marigot (mais perto do nosso hotel) pois saindo de Great Bay a distância é menor e a viagem é mais curta. Eu enjoo em barco  e sempre tomo remédio antes de entrar em qualquer embarcação então quanto menos tempo dentro de um melhor (rs!). Esse trajeto normalmente é meio batido mas tivemos sorte e foi bem tranquila a viagem! Nós compramos o ingresso pela internet, imprimimos e antes de embarcar passamos no escritório da Great Bay Express, que fica bem em frente a entrada do estacionamento que mencionei acima , e fizemos o procedimento de check in. Sem isso o viajante não embarca! Havia um fila quando chegamos portanto recomendo estar no porto com alguma antecedência.

 

Para Anguilla, pegamos o ferry em Marigot, no lado francês da ilha. Compramos as passagens na hora.

 

Pôr do sol

Em Saint Martin o melhor local para ver o sol se pôr é no lado francês da ilha. Nós vimos um belo cair da tarde no restaurante do hotel Le Shambala e também havia pesquisado que no restaurante Le Tastevin o pôr do sol é bem bonito! Também adoramos ficar nas espreguiçadeiras da nossa varanda no hotel Bleu Emeraud Residence bebendo um vinho branco, escutando o barulho do mar e vendo a noite chegar .O sol não se põe bem em frente ao hotel não mas era lindo mesmo assim!

Outro lugar que não chegamos a ir mas que a Lili, que trabalha no hotel, indicou é o Fort Louis , em Marigot. Lembro a vocês que no Caribe o sol se põe por volta de 18h30 .

Pôr do sol visto do restaurante Le Shambala

Belo pôr do sol visto do restaurante Le Shambala

Sol se pondo na praia de Grand Case, onde fica o Hotel Bleu Emeraude

Pôr do sol visto da nossa varanda no Hotel Bleu Emeraude

Céu cor de rosa visto da nossa varanda do Hotel Bleu Emeraude

 

 

Restaurantes

Estou preparando uma matéria separada com as dicas de restaurantes que conhecemos em Saint Martin . Todos os restaurantes onde jantamos fica em Grand Case, parte francesa da ilha. Para ler clique no post Dicas de restaurantes em Saint Martin.

 

Dicas Gerais

1) Em viagens de praia, seja para o Caribe, seja para Europa, nós sempre levamos bolsa térmica pois em muitas praias não há estrutura de quiosques ou restaurantes. Isso é muito comum nesses lugares! Em Saint Martin abastecemos a geladeira do quarto e nossas bolsas térmicas no excelente supermercado Super U, a menos de 10 minutos de carro do hotel , no caminho de Marigot, de onde saem os ferries para ilha de Anguilla. Além de croissants e biscoitos para lanche, compramos queijos franceses, presunto de Parma e vinhos a preços excelentes!

2) Não custa relembrar: leve o passaporte quando for passear nas ilhas de Saint Barth e Anguilla. Há procedimento de imigração tanto na saída quanto na chegada e sem passaporte você não embarca!

3) Não esqueça o repelente. Eu atraio mosquitos e fui ligeiramente atacada nas pernas quando esqueci de passar (rs!)

4) As tomadas na ilha de Saint Martin são de 2 pinos redondos.

 

Dicas Gerais

Seguro – O seguro de viagem é um dos itens mais importantes da viagem! Eu não viajo sem! Ninguém está livre de ficar doente ou sofrer um acidente durante as férias. Imagine quanto isso pode custar em um país como Suíça, Eua ou Noruega? Além disso, o seguro é obrigatório nos países membros da Comunidade Européia (Tratado de Schengen).Eu, particularmente, não tenho coragem de viajar apenas com seguros oferecidos por cartões de crédito.

Aqui no blog você pode fazer a sua cotação pela Seguros Promo que possui várias seguradoras conveniadas. A vantagem é fazer a cotação on-line, ou seja em apenas um clique, você compara o custo x benefício das melhores seguradoras do mercado.A contratação é on-line e você recebe a apólice por email. É possível parcelar em até 12x sem juros no cartão de crédito (parcela mínima de 40,00 reais).

Para fazer sua cotação clique AQUI e insira os dados solicitados (destino, período da viagem, nome, email e telefone). Logo em seguida vai aparecer uma lista com todas as seguradoras e os valores cobrados.

Leitores do blog tem 5% de desconto – basta inserir o código LOUCOSPORVIAGEM5.

 

Vanessa
Vanessa: 37 anos, carioca, amiga da autora há mais de 20 anos, adora viajar, especialmente para destinos de praias paradisíacas e, com frequência, compartilha suas dicas e fotos de viagens no instagram @LoucosPorViagem. É a revisora oficial do blog!
Gostou? Compartilhe!
  • Print Friendly
Deixe seu comentário: