O Deserto do Saara (Post 4)

Em 23/07/2015 por Juliana Tolfo

Há duas principais bases para visitar o deserto do Saara. O vilarejo chamado Merzouga, pequeno e que mais parece um oásis e Ouarzazate, cidade maior, com mais estrutura de hotéis e restaurantes, porém um pouco mais distante.

Para entender meu roteiro pelo Marrocos, leia Marrocos – Dicas Gerais e Roteiro (Post1). Esse é o post 4.  Aqui vou falar sobre as duas bases que fizemos para visitar o Deserto do Saara.

MERZOUGA:

É um típica aldeia berbere auto subsistente e porta do deserto​ do Saara. Berbere é o mais antigo povo habitante do Marrocos, com língua e costumes próprios. Vivem pelas montanhas, pelo deserto do Saara, nas planícies de Draa onde ainda são nômades. O ônibus vindo de Fes chegou em Merzouga às 6:30h, ainda noite e ​muito frio.  Sorte que eu havia combinado com o Riad Mamouche para vir nos buscar no ponto de chegada, pois eu não saberia pra que lado ir naquela escuridão e solidão. Ninguém desceu aqui e já não havia muita gente no ônibus, que pára na frente do escritório da empresa.

O Riad fica num vilarejo afastado de Merzouga uns 20 min de carro. Chegando lá, já nos acomodaram no quarto e em seguida nos deram café da manhã, achei isso o máximo, porque as diárias começam ao meio dia e não nos cobraram extras nem early check-in.

FOTO 69

Dica de hospedagem: o Riad Mamouche é grande, confortável, tem piscina e meia pensão. O café da manhã e o jantar são maravilhosos. Uma das noites você pode ir para a tenda do Riad nas dunas do Saara, mas combine antes via email, pois há um acréscimo no valor da diária. Como éramos os únicos hóspedes, tivemos todas as atenções para nós. Depois do jantar, os funcionários do Riad se juntaram a nós, ligaram pra uns amigos e tocaram e cantaram música berbere. Quiseram até nos ensinar a tocar os instrumentos, mas é muito complicado. Foi super divertido e eles são super animados. Para fazer sua reserva sem custo adicional clique em Booking.com se preferir pode fazer reserva pelo Hoteis.com.

FOTO 94

Quantos dias: em 2 dias inteiros conseguimos fazer os passeios tranquilamente, mas você pode querer passar mais noites no deserto.

O que fazer:

  • Oásis: caminhar por um oásis no meio daquele areal todo na companhia do irmão do dono do Riad não tem preço. O Otmah nos explicou como funcionava aquele oásis, com relação à água, à plantação, a vida dos moradores berberes. Levou-nos num local onde as mulheres confeccionam pães, explicou que a água vem do fundo das dunas e é dividida por família e por semana, canalizada rudimentarmente. Fomos numa casa onde vendem tapetes, mantas e tudo mais. Conseguimos até assistir a um casamento berbere. Foi uma tarde muito especial e o Otmah não nos cobrou um tostão.

FOTO 70

  • Dunas Erg Chebbi: para explorá-las pode ser a pé, de dromedário ou de quadriciclo. A melhor maneira que achei foi através de um passeio de quadriciclo. Foi bem legal, divertido e guiado (400 MAD por pessoa). As dunas chegam a ter 150m de altura.

FOTO 71

FOTO 72

  • Passeio de dromedário: nosso passeio de dromedário seria o meio de transporte para ir passar a noite numa tenda berbere​ ​no meio do deserto. Foram duas desconfortáveis horas! É tudo muito lento… aí você terá tempo pra meditar, fotografar e se equilibrar no pobre coitado do bicho.

FOTO 75

FOTO 76

FOTO 77

  • Noite em tenda berbere: Chegando lá na tenda, subimos uma duna para ver o pôr do sol e depois nos recolhemos na tenda, pois esfriou muito. O guia estava fazendo um jantar: tajine, obviamente. Éramos apenas nós dois, o guia e uma família de gatos. Acho que foi a noite mais estrelada que já vi na vida. Comparo apenas com a noite no deserto do Atacama. Ah desertos, como eu amo!!! Comemos o melhor tajine da viagem, tocamos uns instrumentos e dormimos, estava muuuuuuito frio. Foi muito engraçado o ​guia ​contando com quantos cobertores íamos dormir, 8 no total. Acordamos às 6h para ver o sol nascer e valeu a pena, subimos e descemos dunas sem parar. Na volta, mais 2h montados nos dromedários e quando chegamos havia um delicioso café da manhã nos esperando.

FOTO 80

FOTO 81

FOTO 82

FOTO 83

FOTO 84

FOTO 85

FOTO 87

  • Passeio de 4×4 (500,00 MAD por pessoa): o guia vai explicando toda a volta das Dunas Erg Chebbi, passando por locais com fósseis, por tendas de nômades, mirantes do deserto, dunas e muitas pedras. Fiquei bastante surpresa que ​de ​onde menos se espera que tenha gente, aparece alguém vendendo qualquer coisa, principalmente crianças.

FOTO 90

FOTO 91

FOTO 92

FOTO 93

OUARZAZATE:

A cidade é pequena e não tem muitos atrativos, mas fica num vale encantador no sopé da cadeia montanhosa do Atlas, toda​nevada ao fundo. Percebi que muitos turistas vêm pra cá pra fazer base para o deserto e para o vale dos rios. Nossa parada aqui foi por logística e acabei indo embora com vontade de ficar. Foram 8,5h de estrada desde Merzouga e havia mais outras 4h até Marrakesh. Confesso que não tivemos forças ​para rodar a cidade, estávamos já muito cansados.

FOTO 95

Dica de hospedagem: foi um pernoite no Hotel Ibis Ouarzazate, mas se quiser visitar o Vale de Dadès e a Garganta de Todra deve ficar mais tempo. Para fazer sua reserva sem custo adicional clique em Booking.com se preferir pode fazer reserva pelo Hoteis.com.

Quantos dias: de um a dois dias é suficiente para conhecer a cidade.

Pontos de interesse: 

  • Andar pelo centro: Estávamos chegando no centro de informações ao turista, quando o
    ​responsável​ fechou a porta na nossa cara. Eram 16:30h. Eu não tinha mapa de Ouarzazate. Andamos pela cidade no final da tarde encontramos o nosso amigo do ônibus, um cara que veio conversando conosco, gente boa e queria que fôssemos conhecer um amigo dele dono de agência ali na cidade e que no fim desconversamos. Acabamos o encontrando de novo… hahahaha. Conversa vai, conversa vem… perdemos um tempão aí. Compramos lanches no mercadinho e já noite voltamos ao hotel ​para ​descansar, depois de comprar os tickets de ônibus CTM pra Marrakesh.
  • Taourirt Kasbah: uma antiga vila fortificada do século XVIII, residência da família Glaoui, construído em pisé(areia). Há visitações guiadas por alguns aposentos e pátios internos. Íamos pela manhã, mas acordamos tarde e conseguimos andar somente até a frente da Kasbah.

FOTO 97

  • Atlas Film Studio: é um conjunto de estúdios que deram fama a Ouarzazate. Vários filmes foram filmados aqui, utilizando cenas no deserto. Filmes como Lawrence da Arábia, Star Wars e O Gladiador têm o deserto Ouarzazate como cenário.
  • Vale dos Dadès e Garganta do Todra: eram lugares que eu queria visitar, mas só fiquei sabendo depois que vim embora. Então se você gosta de natureza e aventura off road, pode ser interessante pesquisar sobre esses locais.

 

Espero que vocês tenham gostado da nossa trip pelo Marrocos! foram 13 dias viajando pelo país de forma independente!

Posts Relacionados ao roteiro do Marrocos :

Post 1 –  Marrocos – Dicas Gerais e Roteiro

Post 2 – Casablanca e Rabat

Post 3 – Fès, Marrakesh e Meknès

Post 4 – O Deserto do Saara

Você também pode gostar de ler :

Cape Town, Garden Route, Normandia, Panamá, Cartagena, Lençóis Maranhenses, Malta, Chapada das Mesas, Chapada dos Veadeiros.

Juliana Tolfo
Juliana Tolfo: nasceu no Rio Grande do Sul, mas mora há dez anos no Rio. Adora desbravar lugares, principalmente aqueles que tenham belezas naturais e atividades ao ar livre. Ama fotografar e edita vídeos incríveis de viagens. No instagram compartilha suas belas fotos e ótimas dicas no perfil @julijourney.
Gostou? Compartilhe!
  • Print Friendly, PDF & Email
  1. Viagem linda, fotos maravilhosas!!! Parabéns, Juli!!!

    Responder
  2. Vanessa

    Cenário de filme hein?Incrivel!!!!!

    Responder
  3. Juli

    Obrigada meninas! A viagem foi incrível mesmo, principalmente por irmos sozinhos pra um lugar tão diferente dos nossos costumes. Deu tudo certo, graças a Deus!

    Responder
  4. Rosangela

    Isso e um sonho ju !!simplesmente maravilhoso! Tuas fotos e teus comentarios sao incriveis !parece q estamos viajando c vc!!!! Adoro!bj

    Responder
    • Juli

      Que bom Rosangela! Adoro fazer com que as pessoas viagem junto, hehehe. Beijos mil!!!

      Responder
  5. carla

    Olá, descobri esse post por acaso procurando algo sobre o Marrocos e achei muito interessante e didático! Estou indo pro Marrocos em fevereiro só eu e mais uma amiga. Não entendi porque vocês fizeram a última parte da viagem de ônibus… vc sabe se consigo trem para alguma das cidades que dão acesso ao deserto? Obrigada!

    Responder
  6. Fernanda Klayn

    Querida, estou pesquisando sobre o marrocos pra viajar em agosto e queria saber +- quanto devo me programar pra gastar? Em geral

    Responder
    • Juli

      Olá Fernanda, quanto que se gasta depende muito do perfil de cada um.
      Coloquei alguns preços nos relatos do Marrocos aqui no blog.
      No total foram gastos 800 euros para duas pessoas em 13 dias de Marrocos.
      Bjs

      Responder
      • Fernanda

        800 euros para cada ou para os dois? Que barato, haha!

        Responder
        • Juli

          Fernanda, para os dois. 😉

          Responder
  7. Luis

    Ola como progamaste estas férias por alguma agencia ou assim ? Ou como fizeste . obrigado

    Responder
    • Juli

      Olá Luis,
      tudo foi totalmente programado por mim mesma, sem interferência de agência alguma.
      😉

      Responder
  8. Ronei martins nunes

    Parabéns por ter escolhido este lugar lindo, quero muito conhecer não tenho conhecimento de alguma agência de viajem.VC me indica alguma q conhece. Obrigado….

    Responder
    • Juli

      Olá Ronei, eu não tenho que indicar agência para você, porque sempre faço as viagens de forma autônoma, inclusive essa do Marrocos. Sei que existem vários roteiros prontos que incluem o deserto no Marrocos, mas não saberia te indicar seguramente alguma agência. Abraços.

      Responder
  9. Olá,

    Resumindo o roteiro, você ficou 14 dias no total?
    1 – Casablanca
    2 – Rabat
    3- Fez (1 – bate e volta a volubilis)
    1 – Meknes
    4 – Marrakesh
    2 – Merzouga
    1 – Ouarzazate

    Foi isso? Além de mais 1 dia em Ouarzazate você mudaria mais alguma coisa?

    Parabens pelo relato.

    Responder
    • Juli

      Oi André,
      foi quase isso, total de 13 dias.
      Eu não dormi em Meknes, das 2 noites que fiquei em Fes, um dia fiz bate-volta a Volubilis-Meknes-Moulai Idriss.
      Os dias ficaram assim:

      1.chegada em CASABLANCA
      2.CASABLANCA -> RABAT
      3.RABAT -> FEZ
      4.FEZ
      5.FEZ -> MERZOUGA
      6.MERZOUGA
      7.MERZOUGA
      8.MERZOUGA -> OUARZAZATE
      9.OUARZAZATE -> MARRAKESH
      10.MARRAKESH
      11.MARRAKESH
      12.MARRAKESH
      13.MARRAKESH -> RIO DE JANEIRO

      Deu pra entender esse esquema acima, rsrs?

      Responder
  10. Rodrigo

    Olá Juli! Como é a “logística” no acampamento? O que levar ou não? Banheiros (minha mulher perguntou kkk)? Alguma sugestão?
    Acredito que a maioria dos hotéis em Merzouga tenha uma “filial” no deserto.
    Vocês ficaram dois dias inteiros e então partiram para Quarzazate, certo?

    Responder
    • Juli

      Olá rodrigo, é por aí mesmo, os hotéis em Merzouga tem as tendas no deserto, pelo menos o que eu fiquei foi assim, por isso a logística foi certinha e organizada por eles.
      Saimos de Merzouga em frente ao hotel nos dromedários com o guia e durante 2h sacolejamos até as tendas. Levamos somente uma mochila de uma noite, o resto ficou no hotel. Lembrar de levar roupas para o frio noturno do deserto.
      Banheiro é bem rústico e do lado de fora da tenda, não tinha chuveiro, ou seja, sem banho, kkkk.
      Ficamos 2 dias inteiros ali e de bus fomos para Ouarzazate.
      Foi muito legal!

      Responder
  11. Marina

    Olá, Juli! O passeio que você dormiu no deserto foi agendado por algum lugar? algum guia? Você teria o contato para me passar?

    Obrigada.

    Responder
    • Juli

      Bom dia Marina,
      a noite no deserto agendei com o próprio hotel Mamouche que fiquei em Merzouga, o site está no post. Foi um guia puxando os dromedários (o dono dos dromedários, hehehe) e ele ficou conosco todo o tempo até a volta.
      Beijos!

      Responder
  12. Matheus

    Oi Juli, tudo bem?

    Muito legal seu relato sobre o Marrocos, achei bem completo e me tirou várias dúvidas.

    Estou me programando para ir em Abril de 2017 de lua de mel para a Espanha e queria incluir o Marrocos no roteiro. Como não tenho muito tempo, pensei em 3 noites em Marrakesh e 2 noites no deserto.

    Qual seria a melhor opção para ir e voltar do deserto sem precisar gastar 8 horas de carro?

    Dá pra dormir no deserto também em Ouarzazate?

    Muito obrigado! 🙂

    Responder
    • Juli

      Oi Matheus,
      Que bom que o relato está ajudando!
      Dá pra ir ao deserto a partir de Ouarzazate sim, mas ali não tem as dunas do Saara como vi em Merzouga.
      Como Merzouga é muito longe, você poderia ir a Zagora e dali saem os dromedários para as tendas (tem agências que vendem 1 ou 2 noites, saindo inclusive de Marrakesh, mas sinceramente, haja pique).
      Zagora fica mais próxima de Ouarzazate.
      Atente que Marrakesh-Ouarzazate são quase 4h de ônibus, porque passa por uma cadeia montanhosa, cheia de curvas. Ouarzazate-Zágora (ponto de partida para o deserto) são mais 3h de estrada e depois ainda tem entorno de 2h sobre o dromedário até o acampamento. Então prepara a almofadinha, porque o bumbum vai ficar quadrado. Hehehe.
      Não tem jeito, vocês vão gastar ou um dia ou uma noite inteira para ir e outra para voltar a Marrakesh.
      É tudo longe, precisa disposição, mas é uma viagem muito legal!

      Responder
  13. Bel

    Olá Juli,
    Adorei seu post!!!
    Qual data você foi?
    Fazia frio durante o dia também?
    Obrigada!

    Responder
    • Juli

      Oi Bel!
      Obrigada, que bom que gostou!
      Fui no início de dezembro para o Marrocos e peguei frio sim, geralmente andava de camiseta, um blusão fleece por cima, às vezes casaco e cachecol.
      Revendo minhas fotos, não encontrei nenhuma em que eu estivesse apenas de camiseta. 😉
      Beijos!

      Responder
  14. Douglas

    Oi Juli, como foi para se comunicar no Marrocos? Encontra-se informações facilmente em inglês?

    Responder
    • Juli

      A comunicação foi tranquila Douglas. No Deserto do Saara se falava mais ou menos o espanhol, dava pra conversar.
      Com inglês fizemos todo o resto, mas quem mais fala é o pessoal que fica “catando” turistas para guiarem.
      Nos Riads, foi fácil com inglês, pois na grande maioria pertencem a estrangeiros.
      Em alguns restaurantes, havia menu em inglês, mais comum nas regiões turísticas. Em outros, é pagar pra ver…kkkkk… tudo era diversão.
      Na dúvida, pede um cuz-cuz. Hehehehe. Ou um tajine 😉 .
      Ahhh e para caminhar nas medinas, nem adianta ter informações, porque é muito provável que você vá se perder, mas esse é o lance legal!
      Abração!

      Responder
Deixe seu comentário: