Garden Route, África do Sul

Em 09/07/2015 por Juliana Tolfo

Garden Route ou Rota Jardim é um percurso que vai de Mossel Bay até Storms River pela estrada N2, cujos cenários são dignos de filmes e, por isso, ela é tão famosa entre os visitante da África do Sul. O trajeto todo inclui as principais cidades: Mossel Bay, Knysna, Oudtshoorn, George, Plettenberg Bay e Storms River. Alongamos até o Addo Elephant Park, próximo a Port Elizabeth.

Para ler o primeiro post da minha viagem pela África do Sul clique em Cape Town.

Eu não recomendo fazer este roteiro em 4 dias como eu fiz, pois é muito pouco tempo para os 1.600km rodados (ida e volta de Cape Town) e acabei não conhecendo alguns lugares ou passando muito rápido. As estradas são ótimas, as cidades bonitinhas e a natureza exuberante. Como já mencionei no post de Cape Town, não se esqueça que a África do Sul adota a mão inglesa.

Existe um site com muitas dicas dessa rota: http://www.gardenroute.co.za. Para checar o tempo e as distâncias entre as cidades recomendo o site ViaMichelin, ótima ferramente para as road trips.

Há várias agências de turismo que fazem esse percurso, mas você pode alugar um carro e fazer sozinho, porque as estradas são ótimas e não há perigo algum.

foto 69

Alguns pontos de parada interessantes nessa rota:

Mossel Bay: pequena cidade praiana, onde paramos para tirar fotos, ventava muito naquela manhã e estava um pouco frio. Há lugares para você fazer piquenique e tem placas proibindo consumo de bebidas alcóolicas.

foto 70

foto 71

foto 72

Knysna: uma linda cidadezinha, com um waterfront bem movimentado, restaurantes e lojas de souvenirs. Tem uma bonita marina nas reentrâncias do mar na cidade e que forma um grande lago. Almocei no restaurante italiano Limoncello, no segundo andar do Waterfront.

foto 73

foto 74

foto 75

Storms River: um vilarejo bem bonitinho, onde dormimos a primeira noite da Garden Route. Foi no Hostel Dijembe Bachpacker Lodge, lotado de americanos. Escolhemos dormir aqui por estar próximo ao bungyjump da Bloukrans River Bridge – 216m de altura. O lugar é magnífico! Um canyon que termina no mar e uma ponte linda. Eu não tive coragem suficiente pra me atirar lá no bungy jump, mas se você quiser mais informações, a empresa que faz os saltos é a Face Adrenaline .

foto 76

foto 77

Tsitskamma National Park:  um dos parques mais lindos ​em ​que já estive. Floresta, canyons, praias, trilhas, ponte pênsil… o lugar é de tirar o fôlego de tão lindo. Tem umas trilhas super fáceis pra caminhar na floresta, passar pelas pontes e apreciar o mar. Tem um restaurante e uma loja de souvenirs. Na região há muitos hotéis e outras atividades que podem ser pesquisadas no site http://www.tsitsikamma.info.

foto 82

foto 83

foto 84

foto 85

foto 86

foto 87

Jeffreys Bay: uma cidade praiana bem movimentada, muitos jovens pelos bares do centrinho. É a capital do surf na África. Ventava muito!

foto 90

foto 91

foto 92

Addo Elephant Park: não foi muito fácil encontrar porque chegamos à noite. Há safáris diurnos e noturnos. Você pode ir com seu próprio carro ou fazer o tour nos jipes. O pernoite foi no hotel AFRINCANOS INN  ​ onde​ estava tendo uma festa quando chegamos. Fomos super bem recebidos e as instalações eram ótimas. Foi bem difícil de encontrá-lo porque já era noite e havia muitas estradinhas de terra que nos confundiram.  ​Ficarmos perdidos na savana foi um momento tenso.

Na madrugada fomos para o Addo, ​onde​ faríamos o safária do amanhecer​. Foi muito bom, pois como o parque é enorme e os bichos ficam soltos, achá-los torna-se uma aventura. Há muuuuitos elefantes e outros vários tipos de bichos, mas não encontramos  os felinos, apenas com a carcaça de um búfalo comido por eles.

foto 94

foto 95

foto 96

foto 97

foto 98

Oudtshoorn: foi uma das paradas porque queríamos conhecer as cave​r​nas Cango Caves, que são um conjunto de cavernas muito grande​. Lá ​fazem passeios guiados por dentro, você escolhe o tipo e duração do tour. A natureza é mesmo impressionante nesse lugar.

Dica de comida boa foi no Swiss Bistrô, mas que demorou 1 hora​ para ser servida. O restaurante é bem agradável, são simpáticos, embora lentos.

Aqui pernoitamos no hostel Backpack Paradise e foi muito engraçado. O quarto era dentro da casa de uma família, havia várias crianças olhando TV numa sala, umas senhoras cozinhando e uns caras bebendo.

O ​banheiro privado era no segundo andar, um escadinha estreitinha danadinha, hehehe, mas a porta do banheiro não fechava. No momento do check-in, o atendente perguntou  se queríamos café da manhã às 7:45h, às 8:30h ou 9h e ​informou que ​era pago à parte. Escolhemos o primeiro horário e lá estávamos sentadinhos em frente à lareira esperando. E esperamos bastante… levantei pra pedir um café e a moça perguntou-me se eu havia pago. Senti-me como uma criança carente pedindo comida esperando ela ser servida na mesa, pelas moças  chatas da cozinha. Nosso café que estava marcado para às 7:45h saiu depois das 8:30h. Então me diga: que diferença faz marcar horário?

foto 104

foto 102

foto 103

Jukani Wildlife Sanctuary: em Plettenberg Bay, é um local onde cuidam apenas de felinos que foram​,​ em algum momento​,​ capturados e maltratados. Paramos por acaso, porque vimos uma propaganda. Fazem um passeio guiado pelas jaulas (sem entrar dentro), alimentando os bichos e explicando. Site : http://www.jukani.co.za

foto 107

foto 108

foto 109

foto 110

E assim termino de contar para vocês mais um pouquinho da minha experiência na África do Sul!

Posts relacionados : Cape Town e Garden Route

Posts que você pode gostar de ler : Patagônia Chilena, Huasteca Potosina – México, San Blas – Panamá, Normandia, Chapada das Mesas, Chapada dos Veadeiros.

Juliana Tolfo
Juliana Tolfo: nasceu no Rio Grande do Sul, mas mora há dez anos no Rio. Adora desbravar lugares, principalmente aqueles que tenham belezas naturais e atividades ao ar livre. Ama fotografar e edita vídeos incríveis de viagens. No instagram compartilha suas belas fotos e ótimas dicas no perfil @julijourney.
Gostou? Compartilhe!
  • Print Friendly, PDF & Email
  1. Danilo

    Parabéns o post ficou muito bom!!!! Vou em maio do dia 14 até 24 para lá, nesta rota você saiu de cape town e voltou para cape town?
    Quantos dias você recomenda para curtir a garden route?
    Qual é a média de preço para os parques e passeios que vocês fizeram?
    Nesta rota que vocês fizeram, são todas as cidades da rota ou tem mais algumas que é legal incluir?

    Aguardo o seu retorno.

    Responder
    • Juli

      Olá Danilo, obrigada!
      Sim, eu saí e voltei para Cape Town por caminhos diferentes. Fui pelo litoral (estrada N2) e voltei por Oudtshoorn e a região dos vinhedos. Tem lugares para conhecer e preencher uma semana na Garden Route e assim aproveitar melhor cada lugar. Se eu fosse fazer essa viagem novamente, incluiria Hermanus (antes de iniciar a Garden Route), aproveitaria melhor Knysna e a região do parque Tsitsikamma e conheceria as cidades de Port Elizabeth e George que não conheci.
      Quanto a preço, deve estar bem diferente que em 2009, mas aí vai a tabela:
      TOTAIS dos 4 dias de GARDEN ROUTE por pessoa (estávamos em 4 pax):
      Transporte = 968R
      Hospedagens = 620R
      Alimentação = 234R
      Entradas de parques = 374R
      Souvenirs = 263R
      Total = 2459R – R$ 615,00 – Na época: R$ 1 = 4 Rands

      Responder
  2. Carolina

    Olá, boa tarde! Estou querendo passar um mês na África do Sul, aproveitar duas semanas e fazer um curso de inglês por duas semanas, com um estágio voluntário e depois ficar duas semanas em viajem. Vou sozinha, e gostaria de saber quanto ao risco e cuidados, estou com um pouco de medo de ficar por essas duas semanas viajando sozinha, seria melhhro ao invés de carro, pegar excursão ? Você fechou os passeios antes ou se organizou em agencias de lá?
    Obrigada, amei o post!

    Responder
    • Juli

      Oi Carolina,
      eu achei tudo muito tranquilo, senti-me mais segura que no Brasil, mas ando sempre com cuidado em qualquer lugar.
      Talvez você conheça amigos no curso que possam viajar com você. Caso contrário, não deixe de fazer a viagem e uma excursão seria interessante para ter companhia ou diminuir o gasto que teria alugando carro sozinha.
      Durante a viagem na Garden Route, comprei os ingressos dos lugares diretamente nas bilheterias locais, sem intermédio de agências e foi bem fácil.
      Aproveite a experiência e essa linda viagem!

      Responder
  3. Fábio Augusto

    Olá, pretendo pegar um voo de joanesburgo para port elizabeth e passar por tres dias pela garden route no caminho para cape town.

    Responder
  4. Fábio Augusto

    O que acha, dá pra fazer?

    Responder
    • Juli

      OI Fábio, fica corrido 3 dias na Garden Route, mas dá pra fazer sim, a estrada é ótima.

      Responder
  5. Micheli Lamb

    Olá!
    Muito legal o post!
    Em qual época do ano você fez a rota? Será que é tranquilo de fazer no inverno ou acabamos não aproveitando muito as atrações? Qual seria a melhor época para fazer?
    Você tem dicas de agências de viagens que fazer tours pela rota partindo de Cape Town?

    Responder
    • Juli

      Oi Micheli, fiz em setembro e peguei frio e chuva. Acho que é melhor no verão pra aproveitar as lindas praias do caminho.
      Em Cape Town vc encontrará sim agências que fazem o percurso, mas eu não conheci, pois fiz de carro alugado.
      😉

      Responder
  6. Leandro

    Adorei o site, estou indo em Mario para Cidade do Cabo, você sabe algum site onde vendam excursões para fazer uns passeios pela Garden Route? Tipo uns 4 dias? Tenho 12 dias disponíveis por lá…
    Obrigado!

    Responder
    • Juli

      Oi Leandro,
      não sei te dizer sobre agências, só sei que existem várias por lá oferecendo exatamente a Garden Route como vc quer.
      Eu aluguei um carro com amigos e fizemos de forma independente.
      😉
      Abraços

      Responder
  7. Vanfet

    Oi boa noite !eu estava procurando umas fotod da gatden route e vi as suas!Estavamos um pouco preocupados pois minha filha missionaria da base da Jocun da cidade do cabo está fazendo esta rota hoje!Mas pelo que vi é tranquilo, parabens pelo post

    Responder
    • Juli

      Olá,
      sim, as estradas são boas, bem sinalizadas, há hospedagem no caminho e boas cidadezinhas.
      😉

      Responder
Deixe seu comentário: